Empresária Charlene lima em busca da Reforma do Instituto Santa Juliana

Antes da interdição, a escola oferecia 1.240 vagas, hoje com a interdição do prédio histórico apenas 760 vagas são colocadas à disposição da comunidade escolar.

Hoje dia 19 de junho, a empresária Charlene Lima e funcionários da Escola Instituto Santa Juliana se reuniram após o término do planejamento horizontal do SEAPE para juntos tentarem sensibilizar a Diocese e Governo do Estado em relação ao início da reforma do prédio que já vem se arrastando aproximadamente há três anos, prejudicando os alunos em relação à quantidade de vagas oferecidas.

Antes da interdição, a escola oferecia 1.240 vagas, hoje com a interdição do prédio histórico apenas 760 vagas são colocadas à disposição da comunidade escolar em um outro prédio ao lado.
Um dos maiores motivos da não parceria ainda entre Governo do Estado e Diocese se dá em decorrência do prédio ser particular, o que vem impossibilitando os investimentos de verbas públicas.

Em suas palavras a empresária filha de Sena Madureira disse: “Eu sou devota e tenho um carinho muito grande por Santa Juliana. Como a maioria das meninas de Sena Madureira, estudei no Instituto que leva seu nome, um dos mais tradicionais da nossa cidade e responsável pela formação de muitas mulheres de renome no nosso Estado, entre as quais a ex-governadora Iolanda Lima, além da irmã Juliana, educadora que faz parte da nossa história”.

O Instituto Santa Juliana foi fundado no dia 7 de setembro de 1922. Começou numa casa, com freiras vindas da Itália, as irmãs Servas de Maria Reparadora. Por várias décadas funcionou como internato. O prédio atual, que infelizmente está fechado, começou a ser construído em 1927. As obras ficaram prontas no dia 15 de junho de 1929, quando foi oficialmente inaugurado.

“Sou grata a Deus pela oportunidade de estudar no Instituto. E grata a Santa Juliana, padroeira desse que já foi um dos mais renomados espaços de cultura e ensino do Acre. Quero poder ajudar a resgatar essa história e fazer com que nosso Instituto volte aos seus dias de glória, proporcionando ensino de qualidade aos meninos e meninas de Sena, como proporcionou a mim, minhas irmãs e tantos senamadureirenses nos últimos 70 anos”, Finalizou.

A reportagem do senaonline.net também está firme torcendo que esta reforma possa acontecer o mais breve possível. Sugerimos que o governo possa alocar se possível recursos através da Secretaria de Cultura, por se tratar de um prédio histórico e de muita relevância na formação de jovens, ou seja, já dá para tombar como patrimônio cultural do município. Fica a sugestão.
Ronaldo Duarte

Deixe seu comentário

comentários