COMOÇÃO: corpo de Policial Militar é sepultado em Sena Madureira

O cabo “Ceny” não era casado e não tinha filhos, porém, estava noivo.

Redação Senaonline.net

 

A população de Sena Madureira se despediu na tarde desta quarta-feira, 12, do Policial Militar Alelceny Silva de Souza, 31 anos de idade, vítima fatal de um acidente de trânsito ocorrido ontem de manhã em Rio Branco. Por algumas horas seu corpo foi velado na residência de seu João Maciel e dona Santa, pais do militar.

 

Por volta das 16 horas o caixão foi colocado em uma viatura do Corpo de Bombeiros para o cortejo fúnebre até o cemitério São João Batista, onde ocorreu o sepultamento. Além de familiares e amigos, o comandante-geral da PM no Acre, coronel Júlio César e o comandante da PM local, Major Casagrande, acompanharam o cortejo.

 

Dentro do cemitério, o caixão foi carregado por Policiais Militares e Bombeiros até a sepultura. Houve , ainda, uma homenagem póstuma ao Militar. A honraria fúnebre foi com salva de tiros.

 

O comandante geral da PM no Acre, Coronel Júlio César entregou uma Bandeira aos pais de Alelceny, o cabo Ceny. “Recebemos ele em nossa corporação e essa bandeira é como se estivéssemos o devolvendo. Seu nome ficará encravado no Panteão dos heróis da corporação. O exemplo dele nos fortalece para continuarmos lutando contra o crime já que o cabo Alelceny foi um policial exemplar e morreu em pleno exercício de sua atividade”, comentou.

 

O Major Casagrande, comandante da PM de Sena Madureira, lamentou profundamente a morte de “Ceny”. “Por alguns meses, no 4º Batalhão, tive a felicidade de trabalhar com ele. Depois fui pra outro batalhão, mas posso dizer que a PM perdeu um exímio policial. O nosso sentimento é de profundo pesar a todos os familiares e aos colegas policiais militares que também sofrem diante dessa grande perda”, mencionou.

 

“Ele era como um irmão pra mim”, comenta Newton Lira, primo da vítima

 

Muitas foram as homenagens feitas ao policial de Sena Madureira. Uma delas partiu de seu primo Newton Lira que exerce a função de agente socioeducativo. “O Ceny era de um caráter excepcional. Estudamos juntos. Ele era como se fosse um irmão pra mim. A sociedade acreana perde uma grande pessoa”, frisou.

 

O radialista Josué da Silva, amigo de infância de Ceny, também se emocionou ao falar do trágico acontecimento. “Recentemente ele me ligou e disse que viria passar as férias aqui em Sena Madureira. Combinamos inclusive de ir para a zona rural, pois ele gostava de relembrar suas origens. Somos de uma família humilde e desde cedo mantínhamos esse laço de amizade. Que Deus conforte os familiares nesse momento de dor profunda”, comentou em lágrimas.

 

Em Rio Branco, no 4° Batalhão, Alelceny Silva de Souza integrava o Grupo de intervenção rápida ostensiva da Polícia Militar. Desde 2008 ele fazia parte da PM após ser aprovado em concurso público.

 

O cabo “Ceny” não era casado e não tinha filhos, porém, estava noivo.

 

Deixe seu comentário

comentários