Mãe de jovem executado em Sena Madureira pede justiça: “Mataram meu filho covardemente”

A legislação Brasileira difere com relação às penas aplicadas aos maiores e aos menores de idade. Os menores, por exemplo, podem passar no máximo três anos cumprindo internação.

Redação

 

Jovem Edilton foi morto dentro da própria casa

O assassinato de Edilton dos Santos Maia, 21 anos de idade, ocorrido em abril deste em Sena Madureira ainda abala seus familiares. Residente no Bairro do Bosque, próximo à escola Guttemberg Modesto da Costa, o jovem teve sua casa invadida por seu algoz.

 
Na manhã desta sexta-feira, 19, a dona de casa Tatiana Nóbrega, mãe de Edilton, concedeu entrevista ao site Senaonline.net e aproveitou para esclarecer alguns fatos. Ao mesmo tempo, ela diz acreditar no trabalho da justiça no sentido de punir os criminosos que já se encontram presos à espera de julgamento.

 
A maior revolta de dona Tatiana é que o menor de idade, autor dos disparos que ceifaram a vida do rapaz disse em depoimento à Polícia que chegou a travar luta corporal com a vítima e não sabe ao certo como o revólver disparou. “Isso não é verdade. Ele invadiu minha casa, agrediu meu filho de um ano com uma coronhada na testa e atirou no Edilton quando ele estava de costas. Meu filho não teve chance nenhuma de se defender, morreu covardemente”, relatou.

 
Ela assistiu toda a cena e por pouco não foi morta também. “Quando meu filho estava no chão, esse infrator deu outro tiro nele. Em seguida colocou a arma apontada para a cabeça da minha filha menor de idade que é especial, eu entrei na frente. Nesse momento, ele apertou o gatilho em minha direção, mas o revólver não disparou. O que a família anseia é que eles sejam presos e paguem pelo o que fizeram, pois o nosso sofrimento é muito grande”, comentou.

 
Em um trabalho eficiente, policiais civis e militares de Sena Madureira já capturaram os dois envolvidos no assassinato. Trata-se de Hermínio Júnior e de um menor de idade. Segundo a Polícia, Hermínio teria ordenado a morte enquanto que o menor foi o responsável pela execução.

 
Na mesma noite, Hermínio tinha cometido outro homicídio no Cristo Libertador que teve como vítima o vendedor de algodão doces Geraldo Cesário dos Santos, 48 anos.

 
A legislação Brasileira difere com relação às penas aplicadas aos maiores e aos menores de idade. Os menores, por exemplo, podem passar no máximo três anos cumprindo internação.

Deixe seu comentário

comentários